ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



O meu primeiro ruffle cake.




Ontem foi um dia muito especial na cozinha do Lume Brando: consegui fazer um ruffle cake!


Há muito que estes bolos vistosos não me saíam da cabeça, mas só ontem me atrevi a pôr as mãos no bico pétala nº 103 da Wilton.

O bolo em si também foi uma novidade: uma receita de bolo de coco da Planet Cake.

Ficou muito bom. O açúcar mascavado deu-lhe um óptimo travo caramelizado e por isso quis que o creme de manteiga também levasse caramelo. Pesquisei receitas e optei por esta, ainda que aqui o buttercream fosse para decorar cupcakes e não um ruffle cake. Digo isto porque não cheguei a usar toda a mistura de caramelo sugerida: estava com medo que o meu caramelo tivesse passado do ponto e ficado amargo.
Por outro lado, não sei se juntando todo o caramelo ao creme de manteiga a consistência serviria para fazer os ruffles, ainda que na foto a cobertura dos cupcakes pareça bem consistente.
Nada como experimentar, de preferência com a versão de caramelo feita com leite condensado cozido, bem menos arriscada!

Ontem fiquei mesmo feliz, porque a experiência superou as minhas expectativas.
Não é muito difícil dominar o saco e o bico pasteleiro, como podem comprovar neste vídeo, e o resultado é um bolo de festa espantoso!





Bolo de coco com buttercream de caramelo

Para o bolo
(adaptado deste livro)
2 ovos
110 g de manteiga amolecida
160 g de açúcar mascavado
65 g de coco ralado
180 g de farinha sem fermento
15 g de fermento em pó
180 ml de buttermilk*

Pré-aquecer o forno nos 180º.
Untar duas formas redondas de 14 cm, forrar-lhes o fundo com papel vegetal (e os lados, se for perfeccionista) e voltar a untar.
Com a batedeira eléctrica ou na Bimby (sem borboleta), bater o açúcar com a manteiga até ficar uma massa bem macia e leve.
Juntar um ovo de cada vez e deixar ligar bem.
Colocar numa taça o coco e juntar-lhe a a farinha e o fermento peneirados.
Adicionar estes secos à mistura de manteiga, de forma intercalada com o buttermilk, com o batedeira ou a Bimby a funcionar.
Verter para as formas e levar ao forno cerca de 35/40 minutos ou até um palito sair seco do seu interior.
Deixar arrefecer 5 minutos antes de desenformar. Deixar arrefecer bem antes de rechear e cobrir.

*Buttermilk caseiro: num copo medidor colocar 160 ml de leite e espremer sumo de limão até obter os 180 ml. Deixar repousar cerca de 15 minutos ou até o leite ganhar grumos e parecer talhado.

Para o creme de manteiga - recheio e cobertura
(adaptado daqui - eu não tinha leite condensado cozido e segui as instruções da receita para fazer o meu próprio molho de caramelo, mas deixo aqui a versão rápida)

240 g* de manteiga amolecida ou margarina (eu usei Planta)
300 g de açúcar em pó (de preferência peneirado)
5 colheres de sopa de leite condensado cozido
1 colher de sobremesa de extracto de baunilha
Sal qb

*por lapso, quando fiz o post, tinha escrito 340 g.

Juntar o sal e a baunilha ao leite condensado cozido e misturar muito bem.
Com a batedeira eléctrica, ou na Bimby, bater muito bem o açúcar com a manteiga ou a margarina, cerca de 4 minutos, e após este tempo ir juntando aos poucos o leite condensado cozido, batendo muito bem entre cada adição, até se obter um creme homogéneo muito macio.

Para montar e decorar
Eu tive de cortar cada um dos bolos ao meio e usar três metades, pois um dos bolos não ficou muito perfeito, mas a ideia era colocar apenas recheio entre os dois bolos, para minimizar o trabalho, ou seja:
- colocar um dos bolos no prato de servir*
- barrar com buttercream
- colocar por cima o outro bolo
- barrar todo o bolo com buttercream (uma espátula destas dá muito jeito)
- colocar o restante buttercream num saco pasteleiro munido do bico 103 da Wilton ou similar
- decorar!

*Um dos segredos para garantir o wow factor deste bolo é usar um prato com um diâmetro muito semelhante ao do bolo, ou seja, em que sobre apenas o espaço para a decoração.

Folhado de espinafre e queijo para dois.



















Depois do Natal, já em tempo de aulas, o G. teve uns dias de férias.
Como é raro estarmos de férias sem os miúdos, aproveitámos para fazer uns almoços caseiros especiais. Esta foi uma das entradas improvisadas num desses dias.

A massa filo não é a que eu costumo usar (o Continente deixou de ter a massa filo da marca francesa que eu gosto e agora só muito raramente vou ao El Corte Inglés...), mas mesmo assim estes folhados de espinafre e queijo ficaram aprovados.

Ficámos na dúvida quanto ao acompanhamento: só tomate talvez tivesse resultado melhor, mas eu adoro rúcula e como a textura é bastante diferente da dos espinafres, não achei nenhuma heresia juntá-los. Para a próxima, quero usar mais pinhões (desta vez só tinha meia dúzia deles) e queijo feta em vez de Palhais.



















Pastéis de massa filo de espinafres e queijo
(Para 2)

1/2 molho grande de espinafres frescos (ou o equivalente em espinafres em saco ou congelados)
1/2 queijo de cabra curado Palhais (ou o equivalente em queijo feta)
1 folha de massa filo
Pinhões tostados
2 dentes de alho
Azeite
Manteiga
Sal


Pré-aquecer o forno nos 180º.
Levar o azeite ao lume com o alho picado.
Deixar fritar um pouco e juntar os espinafres bem lavados, bem escorridos e cortados grosseiramente.
Temperar de sal e deixar saltear até começarem a ficar murchos.
Deixar arrefecer.
Entretanto pincelar a massa filo com um pouco de manteiga derretida e dobrá-la ao meio.
Cortar em dois rectângulos iguais.
Levar os pinhões ao forno para tostarem. Deixar arrefecer.
Desfazer o queijo em pequenos pedaços e misturar com os espinafres. Juntar os pinhões e dividir este preparado pelos dois rectângulos de massa filo.
Fazer uma pequena dobra para dentro, nos lados mais curtos (como para um crepe chinês, para que o recheio não saia para fora) e enrolar pelos lados mais compridos.
Pincelar com mais um pouco de manteiga e levar ao forno até ficarem dourados, com a massa bem estaladiça.

Um livro, uma receita #23 (desafio More Than Cookies)











































Coisas bonitas funcionam como inspiração para coisas boas.
Assim foi com os guardanapos apetitosos que me foram oferecidos pela More Than Cookies: uma loja online de loiça e acessórios de cozinha lindos de morrer (espreitem!), que desafiou o Lume Brando a participar na sua rubrica "Blogs Convidados".

Mal os vi e aos seus passarinhos cantores, decidi que faria outra estreia neste post: usaria este prato de pé azul-bebé, comprado recentemente. Já só faltava seleccionar a receita.

Andava a pensar nas diferentes possibilidades, e eis que recebo no Natal o livro da Hummingbird Bakery. A fonte, pelo menos, estava escolhida: o beija-flor desta confeitaria londrina tinha de vir fazer companhia ao resto do bando.

Depois de folhear várias vezes o livro e de me perder nas suas páginas, o eleito foi este bolo de café.
De sabor suave (usei menos café na massa do bolo do que na receita original), amanteigado qb, e com óptima textura, fica ainda mais guloso com a cobertura de baunilha e café.

Uma receita que, à semelhança das coisas bonitas da More Than Cookies, nos deixa sonhar acordados...


















Bolo de Café da Hummingbird
(fiz metade desta receita, à excepção da cobertura de baunilha)

Essência de café*
450 g de manteiga sem sal à temp. ambiente (usei com sal)
450 g de açúcar em pó
8 ovos
450 g de farinha sem fermento
2 colheres de sopa de fermento em pó
2 colheres de sopa de cacau em pó
1 dose de cobertura de baunilha**
60 g de chocolate preto raspado em lascas para decorar (usei de culinária)
Grãos de café para decorar (opcional - não usei)

*Para a essência de café:
2 colheres de sopa de café instantâneo em pó (usei Nescafé)
170 ml de água

*Para a cobertura de baunilha:
250 g de açúcar em pó
80 g de manteiga à temp. ambiente
25 ml de leite gordo (usei meio gordo)
Algumas gotas de essência de baunilha (usei extracto)
1 colher de sopa da essência de café

Juntar o café em pó à água numa caçarola e deixar levantar fervura em lume médio.
Deixar ferver até que o líquido tenha reduzido para metade e fique ligeiramente mais espesso. Deixe arrefecer.
Pré-aquecer o forno nos 170º.
Untar e polvilhar com farinha uma forma de buraco com cerca de 25 cm.
Numa taça, misturar a manteiga, o açúcar e a essência de café fria (reservando uma colher de sopa para o creme da cobertura) com a ajuda de uma batedeira eléctrica.
Adicionar os ovos, um a um.
Juntar a farinha, o fermento e o cacau e mexer bem até a massa estar bem ligada.
Verter para a forma e levar a cozer cerca de 40 minutos (no meu forno levou cerca de 50 m, o melhor é fazer o teste do palito).

Entretanto, preparar a cobertura: com uma batedeira ou num robot de cozinha, bater a manteiga e o açúcar até ficar um creme macio. Numa tacinha, misturar bem o leite, a baunilha e a essência de café e depois ir juntando esta mistura ao creme de manteiga, batendo em velocidade elevada cerca de 5 minutos.

Espalhar o creme por cima do bolo e finalizar com as raspas de chocolate.
Um bolo de lanche perfeito!

E 2012 fez... pop!








































Os meus primeiros cake pops.
Nunca tinha experimentado porque achava que eram muito trabalhosos, mas revelaram-se uma óptima surpresa: são relativamente simples de fazer e ficaram deliciosos.
Claro que ajudou ter umas sobras de bolo de chocolate congeladas.
Lembrei-me delas e do queijo-creme que tinha no frigorífico (ingrediente que não é muito comum cá em casa), revi um vídeo da Bakerella e segui em parte uma receita deste livro da Merry Cupcakes.
O resultado foi tão bom, que estou ansiosa que cheguem os aniversários dos meus piratas para fazê-los de novo.

Feliz 2012 para todos!

Cake pops de chocolate
(para cerca de 45)

Cerca de 1/2 deste bolo de chocolate*
150 g de açúcar em pó
25 g de manteiga
65 g queijo-creme frio
500 g de chocolate de culinária
Confeitos de açúcar coloridos
Palitos de chupa-chupa ou palitos de espetada partidos ao meio (dos mais robustos sem ser dos maiores de churrasco, com as pontas aparadas)

Deixar arrefecer muito bem o bolo ou deixar que descongele à temperatura ambiente, se for caso disso.
Com as mãos, desfazê-lo em migalhas.
Com a batedeira eléctrica, misturar o açúcar, o queijo-creme e a manteiga durante uns 3 minutos.
Juntar este preparado às migalhas de bolo até obter uma massa húmida e interligada. Fazer bolinhas do tamanho dos chupa-chupa normais, colocando-as num tabuleiro forrado com papel vegetal.
Levar ao frigorífico cerca de 30 minutos (a Bakerella sugere que os leve ao congelador primeiro, mas eu não tinha espaço no meu).
Entretanto levar o chocolate a derreter em banho-maria (uso esta caçarola do Ikea).
Retirar as bolinhas do frigorífico.
Mergulhar uma das pontas de um palito no chocolate (não mais do 1/2 cm) e inserir essa ponta no centro de uma bolinha, introduzindo-o até cerca de metade da bolinha (o chocolate faz de cola).
Pegando pelo palito, mergulhar a bola no chocolate derretido. Retirar e talvez seja preciso rodar um pouquinho o palito com suavidade, já fora do recipiente com o chocolate, para que o cake pop não fique a pingar.
Polvilhar com confeitos de açúcar coloridos e colocar num copo adequado a secar (uma placa alta de esferovite seria o ideal mas eu não tinha).
Repetir com os restantes ingredientes e no final levar os cake pops ao frigorífico para secarem mais rapidamente.

*Como as quantidades não são muito fáceis de dividir por dois, aconselho a fazer a receita inteira, em forma rectangular, tipo tabuleiro, para ficar mais húmido.  Divida em dois e se não usar o bolo todo de uma vez, congele-o.