ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



18.7.16

Havia um pessegueiro na ilha.
























Havia um pessegueiro na ilha. E havia o recanto na falésia, o azul do horizonte e o poente improvisado.
O Alentejo inspirou Rui Veloso. A fruta da época e a época das sobremesas frescas, que se partilham depois do peixe grelhado da canção, inspirou esta tarte.

Não são precisos ingredientes sofisticados e até o forno se pode suprimir. Se não houver forma de tarte, usam-se copinhos de iogurte e serve-se em doses individuais.
Esteja onde estiver, perto do mar ou em pleno interior, esta tarte vai saber-lhe a Verão. Basta acompanhar com uma banda sonora a gosto.

Texto e receita publicados no jornal Observador em Agosto de 2015.














TARTE FRESCA DE PÊSSEGO

1 pacote de bolacha maria
70 g de manteiga amolecida
350 g de pêssegos ou nectarinas maduros – pesados já descascados e descaroçados
120 g de açúcar 5 folhas de gelatina
1 pacote de natas para bater (mínimo 35% de gordura)
1/2 limão
Folhinhas de hortelã

Para decorar:
3 pêssegos ou nectarinas partidos aos cubos

Pré-aqueça o forno nos 180º.
Pique a bolacha grosseiramente e junte a manteiga, envolvendo bem. Forre o fundo de uma forma amovível – 18 ou 20 cm de diâmetro – com esta mistura, pressionando com os dedos de forma a criar uma base compacta.
Leve ao forno cerca de 10 minutos. Retire e deixe arrefecer.
Entretanto coloque as folhas de gelatina a amolecer num prato fundo com água.
Triture a fruta com um fio de sumo de limão e o açúcar até obter um puré (se a fruta for especialmente doce, diminua ao açúcar).
Escorra as folhas de gelatina e derreta-as no micro-ondas (bastam alguns segundos na potência máxima; mexa o líquido que se formou para ter a certeza de que está bem dissolvida. Se não tiver micro-ondas, leve as folhas ao lume num tachinho, mexendo sempre até estarem bem dissolvidas).
Junte ao preparado da fruta misturando bem.
Monte as natas com a batedeira elétrica. Quando começarem a ficar firmes, adicione algumas gotas de limão, que vão ajudar a ‘prender’ as natas, e junte estas ao preparado anterior envolvendo com cuidado.
Verta para a forma entretanto arrefecida.
Tape com película aderente e leve ao frigorífico, idealmente de um dia para o outro.
Sirva decorado com pêssegos frescos, ou nectarinas, regados com um fio de limão para não oxidarem, e folhinhas de hortelã.

Nota: se não quiser ou puder usar forno, triture as bolachas (pode omitir a manteiga) e distribua por copinhos de vidro, encha depois com o preparado de pêssego e leve ao frigorífico. No momento de servir, distribua a fruta e a hortelã pelos copinhos.


4 comentários:

Mary - Strawberrycandy disse...

Que linda tarte,..imagino que com este calor, deve saber mesmo bem, uma fatia :)
Beijinhos,
Espero por ti em:
strawberrycandymoreira.blogspot.pt
http://www.facebook.com/omeurefugioculinario

Clara Brito disse...

Hummm que bela sobremesa.
Também quero.

Beijinhos,
Clarinha
http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2016/07/carbonara-com-crocante-de-linguica.html

Ruth Miranda disse...

Que ar delicioso, tem tudo para ser uma maravilha de tarte!
https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

Tânia Tiago disse...

Ficou super giro e apetitoso. Hummm...
Maravilha
Bjinhos

Bimby & Sabores da vida