ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



15.4.09

O meu risotto de cogumelos.



Comer risotto fora de casa nunca foi uma experiência memorável. Ou porque estava cozido demais e não al dente, ou porque estava muito salgado, ou porque não tinha grande sabor. Por isso demorei a optar pela via Do It Yourself. Mas um dia lá me resolvi a comprar uma embalagem de risotto Gallo. Depois de ensaiar as primeiras receitas, com base nas instruções do pacote, foi fácil chegar a uma fórmula perfeita. Tão perfeita que tenho resistido a novas combinações. Até porque esta já foi aprovada não só pela malta lá de casa, como por alguns amigos e familiares. Para quem quiser experimentar, aqui fica a receita. Só não digo as quantidades exactas de alguns ingredientes, porque eu própria os coloco a olho. Quanto aos tipos de risotto, já experimentei o arborio (marca Gallo) e o carnaroli (marca Pingo Doce). Gosto mais do primeiro.

Para 2

160 g de risotto
½ litro de água ou caldo de galinha* a ferver
½ copo vinho branco
1 cebola grande
3 dentes de Alho
1 emb. de cogumelos frescos (costumo usar os mais vulgares, brancos)
Bacon
Azeite
1 folha de louro (opcional)
Vinho do Porto
Vinagre balsâmico
Sal
Queijo parmesão (ou ´grana padano’ que é ligeiramente mais barato e idêntico em sabor e textura, talvez mais suave)

Começo por refogar os cogumelos (pode fazer-se isto com antecedência e reservar): azeite, louro, a cebola quase toda, 2 dentes de alho e bacon, estes três últimos aos cubinhos, até começar a alourar. Junto os cogumelos laminados e deixo cozinhar um pouco. Junto sal, vinagre balsâmico e vinho do Porto a gosto e deixo evaporar (não exagerar pois ainda vai levar vinho branco). Deixo apurar em lume brando, até os cogumelos ficarem bastante macios e com cor. Escorro os cogumelos reservando o líquido à parte.
Noutro tacho, coloco um fundo de azeite com o resto da cebola e 1 dente de alho picados e mais um pouco de bacon aos cubinhos. Quando começar a estalar junto o arroz, deixo fritar um pouco e junto a mistura de cogumelos. Deixo cozinhar mais uns minutos e junto o vinho branco. Deixo evaporar. A partir daqui é só ir acrescentando a água ou o caldo e mexer sempre. É importante ir provando para verificar a consistência e rectificar o sal, sendo que o queijo e o caldo tipo Knorr já contribuem com bastante sal. Quando estiver perto do fim da cozedura (demora cerca de 20 minutos para o arroz ficar bem gomoso mas al dente) junto queijo ralado na altura e mexo bem. Levo mais queijo para a mesa para cada um ralar e polvilhar a gosto.

*Este é o único prato em que utilizo caldo tipo Knorr. Mas também já o fiz só com água e ficou bastante saboroso. Uma boa maneira de evitar usar o caldo industrial e garantir o sabor, e porque hoje em dia acho difícil alguém ter tempo para fazer o próprio caldo, é aproveitar o líquido que surge quando refogamos os cogumelos para perfazer a quantidade de água necessária.

4 comentários:

L.O. disse...

Ora bem... ontem estava previsto jantar apenas uma sopinha, mas depois de ver esta receita mesmo ao fim do dia, fiquei curiosa. Nunca tinha feito risotto. Fui ali ao lado comprar os ingredientes e meti mãos à obra. Jantei lá para as 10 da noite mas ficou impecável. Muito bom. Vou repetir. (Eu aconselho a não pôr sal nenhum, uma vez que o bacon, na minha opinião, já tem sal que chegue).

Anónimo disse...

que duas artistas!
Vamos esquecer a loja de doces. Abrimos um restaurante!

Beijo. Bela

Teresa Rebelo disse...

:-)

Anónimo disse...

Alto e parou tudo. Restaurante? Tou aí. Bora lá. Não me importo de ser ajudante : )

Parabéns pelo delicioso blog.

Muitos Beijinhos,

Sónia Fonseca