ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



5.10.09

Martha meets Jamie





Uma tarte perfeita para o Outono, que me ajudou a escoar as maçãs que nos têm chegado dos quintais da família.
A receita da massa está neste livro delicioso. Esta foi a primeira vez que a fiz, mas entretanto já repeti e estou completamente rendida à sua simplicidade, versatilidade e textura. O recheio, esse, foi adaptado desta receita do livro 'Jamie at Home'.

Tarte de maçã ao estilo americano

Para a massa quebrada (pâte brisée)

375 g farinha
240 g de manteiga fria
(usei Vaqueiro)
60 ml de água gelada
Sal
(como a Vaqueiro tem sal, não usei)

Misturar à mão ou num robot de cozinha a farinha e o sal, se for caso disso.
Juntar a manteiga fria partida aos pedaços e misturar até ficar com a consistência de migalhas
(na Bimby: 8 seg. Vel.6).
Com o robot a funcionar, ou manualmente, ir juntando a água gelada em fio até a massa ficar uniforme (nunca mais de 30 seg. num robot de cozinha; Bimby: 20 seg. Vel.6). Pode não ser necessária toda a água: confirmar a consistência da massa apertando uma pequena porção com os dedos - deve estar macia e maleável mas não pegajosa.
Dividir a massa em duas bolas, achatá-las em forma de disco, envolvê-las em película aderente e levar ao frigorífico no mínimo durante 1 hora. O ideal mesmo é que repouse durante a noite no frio
(esta massa pode ser guardada no congelador durante um mês, devendo neste caso ser descongelada no frigorífico antes de ser usada).

Para o recheio:

600 g de maçãs (pesei-as já descascadas e fatiadas, mas julgo que será o correspondente a cerca de 1,200 kg de maçãs inteiras)
Sumo de 1 limão
50 g manteiga + alguma para untar
100 g de açúcar fino
1 ovo batido para pincelar
Canela e açúcar em pó para polvilhar


Pré-aquecer o forno nos 200º.
Colocar o açúcar e a manteiga num tacho e levar ao lume. Assim que a manteiga derreter, juntar as maçãs
(descascadas, cortadas em fatias médias e regadas com sumo de limão), e cozinhar com o tacho tapado durante cerca de 20 minutos, mexendo de vez em quando. Deixar arrefecer.
Entretanto, retirar a massa quebrada do frigorífico. Passados alguns minutos - os suficientes para a massa ficar mais maleável - estender os discos de massa numa superfície polvilhada com farinha, com a ajuda do rolo. Com uma das porções, forrar o fundo e os lados de uma tarteira
(+- 26 cm de diâmetro) untada com manteiga.
Colocar o recheio de maçãs. Cobrir a tarteira com o outro disco estendido de massa, unindo com os dedos a massa de cima à massa de baixo. Com uma faca, fazer três pequenos golpes, espaçados, na cobertura, para deixar sair o vapor
(eu usei um cortante pequeno de bolachas). Pincelar com ovo batido e polvilhar com açúcar e canela em pó.
Levar ao forno. Após os primeiros 20 minutos ou quando a massa começar a ficar dourada, reduzir a temperatura para os 180º. Continuar a cozer durante mais 40 ou 50 minutos. No final, o sumo das maçãs deve ficar a borbulhar e a cobertura deve ficar bem dourada. É ainda aconselhável rodar a tarte no forno a meio da cozedura, para que fique cozida uniformemente.


O resultado é uma tarte estaladiça por fora, suculenta e doce por dentro. Servir simples, com uma bola de gelado de baunilha ou, para seguir a sugestão do Jamie, com uma colherada de "custard", uma espécie de leite-creme. Imagino que o Jamie se esteja a referir ao genuíno 'custard', feito com ovos, e não ao creme que se faz com o Custard Powder - amido de milho aromatizado com baunilha e corante amarelo, que permite fazer uma espécie de leite-creme instantâneo...

2 comentários:

Marina disse...

Uau! Ficou uma tarte muito bonita!
Confesso que fiquei com vontade de meter a mão na massa!
Beijinho.

✿✿✿ disse...

Adoro estas tartes de maçã cobertas!!
A tua ficou linda e super apetitosa!
bjs