ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



26.7.11

O power dos financeiros.





Os financiers são uns bolinhos típicos franceses, cujo nome proporcionou ao longo do tempo várias explicações.
Há quem defenda que se chamam assim devido aos seus ingredientes algo dispendiosos, pelo menos para a época em que surgiram; outra teoria diz que o nome advém da sua forma original, que faria lembrar barras de ouro, e há ainda quem justifique o termo pelo facto de terem sido criados por uma pastelaria situada no coração financeiro de Paris.

Casquinha crocante por fora; húmidos, doces e com um intenso sabor a manteiga por dentro, resultante da técnica de derreter a manteiga até ela ficar bem dourada (beurre noisette).

Sei que soa bem, mas os meus financeiros revelaram-se demasiado poderosos para mim e, na bolsa da gulodice, acabei por transaccionar em baixa, sem no entanto ter chegado a negociar em terreno negativo: os restantes provadores atribuíram-lhes um elevado rating. Em pouco tempo, dos títulos disponíveis só sobraram migalhas...

A solução está em fazê-los em formato très petit, como os que servem na Boulangerie de Paris, com o café, mas precisava de encontrar as forminhas.
Nesta experiência usei umas formas de metal compradas na Nortel, próprias para Sidónios, julgo eu.

Em todo o caso, não se deixem intimidar com a minha reacção, porque estes bolinhos já conquistaram fãs em todo o mundo.
E se os experimentarem a acompanhar um bom café, prometo que não se vão arrepender!



Financiers
(receita do Martha Stewart's Baking Handbook)

Para cerca de 10

70 g de manteiga sem sal (usei com)
1 chávena* de amêndoa às lascas ou aos palitos
1 chávena* + 2 colheres de sopa de açúcar em pó
1/3 de chávena* de farinha sem fermento
4 claras, de preferência de ovos L
1 colher de café de sal
(não usei)

Num tacho, levar a manteiga ao lume médio, mexendo frequentemente com uma vara de arames, até libertar aroma e adquirir um tom castanho dourado (confesso que não consegui chegar a esta cor, acho que retirei do lume antes do ponto, com medo que começasse a queimar).
Passar a manteiga derretida para uma taça e reservar.
Num processador de cozinha, triturar as amêndoas com 2 colheres de sopa de açúcar em pó, até ficarem em farinha fina.
Noutra taça, juntar a farinha, o sal, se for caso disso, e a mistura de amêndoa e açúcar.
Na taça da batedeira eléctrica, bater as claras e o restante açúcar até ficar uma massa fofa e espumosa.
Reduzir a velocidade e ir adicionando, alternadamente, a mistura de secos e a manteiga, sendo que se deve começar e terminar com os secos.
Cobrir a taça com película aderente e levar ao frigorífico no mínimo 2 horas (aguenta até 4 dias).
Pré-aquecer o forno nos 200º. Untar e polvilhar de farinha as formas.
Dividir a massa pelas formas - encher até cerca de metade - e levá-las a cozer durante cerca de 15 minutos, ou até um palito sair relativamente seco (demorou um pouco mais, no meu caso). Rodar o tabuleiro a meio da cozedura.
Depois de saírem do forno, não demorar muito a retirá-los da forma: eu distraí-me e depois custaram a sair...

*Medida de 240 ml. As quantidades que apresento são uma adaptação para fazer cerca de metade da quantidade original (24).

2 comentários:

Diana disse...

Nunca ouvi falar dessa receita. Fiquei com vontade de exeimentar
bjos

life in paradise disse...

Que delícia, vou ver se arranjo umas forminhas para experimentar estes docinhos. Parecem-me muito bem.
Beijinhos