ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



27.8.15

Figos tardios.







Estava a ver que este ano os figos não iam passar pela minha cozinha.
Desde que fiz e comi esta salada pela primeira vez, todos os anos uma parte de mim deseja que o Verão avance depressa e que mãos amigas me tragam um cesto destas coisas boas.
Mas confesso que já andava desanimada. Via figos no Instagram, figos no Facebook, figos no Pinterest, e aquele cestinho generoso sem aparecer. Até que esta semana, quando já me tinha conformado que este ano a tradição ia ser quebrada, a minha mãe partilhou comigo os figos que uma amiga lhe ofereceu. Fiquei feliz, feliz.

Claro que o primeiro destino foi a tal salada. A seguir, fiz esta galette (eu sei que pode parecer algo herege, mas gosto mais de figos utilizados numa receita do que ao natural).

Apesar de usar com frequência mel em pratos salgados - no molho da salada de figos, por exemplo - nos doces não é um ingrediente que eu aprecie muito. Resolvi dar-lhe uma nova oportunidade, usando-o também na galette, mas definitivamente é a única coisa que irei alterar, quando repetir esta receita: em vez do mel, açúcar amarelo ou mascavado. Em tudo o mais, ficou aprovada à primeira.
















GALETTE DE FIGO E AMÊNDOA

Para a massa:
100 g de farinha de trigo sem fermento
50 g de farinha de amêndoa (pulverizei amêndoa com pele na Bimby)
50 g de manteiga fria
1 colher de sobremesa rasa de açúcar amarelo
1 ovo pequeno

Para o recheio:
3 ou 4 figos fatiados
2 colheres de sopa de mel (ou de açúcar amarelo/mascavado)
1 mão-cheia de amêndoas laminadas


Para fazer a massa, junte todos os ingredientes numa taça grande e trabalhe depressa com os dedos até obter uma massa uniforme (não amasse demasiado, pois vai aquecer a manteiga e tornar a massa mole).
Se achar que está a colar, junte um pouco mais de farinha.
Forme um disco, embrulhe em película aderente e leve ao frigorífico uns 30 minutos.
Pré-aqueça o forno nos 180º.
Polvilhe a superfície de trabalho com farinha, retire a massa do frio e estenda com o rolo dando-lhe uma forma arredondada. Transfira a massa para um tabuleiro anti-aderente ou forrado com papel vegetal e disponha por cima as fatias de figo, deixando uma margem de cerca de 5 cm a toda a volta.
Verta o mel ou salpique com o açúcar, tentando apanhar toda a camada de figos e dobre o rebordo da massa para dentro, a toda a volta da tarte.
Leve a cozer durante cerca de 45 minutos ou até a massa e a amêndoa ficarem bem douradas e a massa ficar firme ao toque.
Sirva simples ou com uma bola de gelado, ou até com uma colherada de iogurte grego.

Mais receitas de galettes (a fruta de ambas é a mesma, mas a massa é diferente):
Galette de framboesa e ameixa
Petit galettes de framboesa e ameixa






7 comentários:

cozinha100segredos disse...

Adoro figos!

Mary - Strawberrycandy disse...

Adoro figos e este ano ainda nem experimentei,...
Beijinhos,
Espero por ti em:
http://strawberrycandymoreira.blogspot.pt/
www.facebook.com/omeurefugioculinario

Susana Machado disse...

que delícia!
Beijinhos,
http://sudelicia.blogspot.pt/

Célio Cruz | Sweet Gula disse...

Adoro figos e não consigo mesmo resistir-lhes! Já passaram pela minha cozinha este ano, mas tive de os comer ao natural, apesar de gostar imenso de os usar em receitas. mas ao natural sabem-me pela vida e fazem-me recuar no tempo, à enorme figueira do meu avô na qual eu me deliciava todo o santo verão com aqueles deliciosos figos que pareciam mel. Adorei a ideia da galette que ficou linda, com uma crosta perfeita e uma cor irresistível. :)
Um beijinho Teresa.

Emma disse...

Adoro figos, doces de figo, bolos com figos mas realmente este ano mantive-me apenas pela fruta! hehe

O seu blog é uma inspiração <3
Fotos lindíssimas.

**

http://despegadocura.weebly.com/

Marta Pires disse...

Eu adoro figos...Adoro a minha figueira que me dá figos tão deliciosos...É tão bom!

Marmita disse...

Esta era daquela fruta que eu adorava ter todo ano! Também adoro e é uma desilusão quando apanho um verde pelo meio. Este ano tive a sorte de comer muitos que vieram de Viseu e às tantas tive de fazer um doce para não se estragarem. Quanto à tua tarde está linda. um beijo