ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



17.9.09

Um livro, uma receita #10






Este livro da Mafalda Pinto Leite foi-me oferecido no meu último aniversário. Já me serviu de inspiração algumas vezes, mas ainda não tinha seguido nenhuma das receitas de forma rigorosa.

Há muito que queria fazer panquecas. Crepes faço várias vezes, mas panquecas nunca tinha experimentado. Esta receita foi uma escolha acertada para primeira vez: ficaram muito boas, ainda que as minhas, de aspecto, parecessem mais crepes que panquecas.

Para a próxima vou usar uma pequena frigideira dupla própria para crepes que a minha mãe me ofereceu há já uns anos e talvez consiga que fiquem mais altas. No sábado em que fiz as panquecas esqueci-me que a tinha: é que no meio dos nestuns, dos cerelacs e das acesas disputas Panda-Baby TV, há-de sempre escapar alguma coisa.

Mesmo assim, com dois piratas madrugadores, impacientes e enérgicos em casa, o pequeno-almoço continua a ser a minha refeição preferida. E se incluir as compotas de abóbora ou pêssego feitas pela minha mãe, ainda melhor.

Panquecas

A receita diz que é para 6 a 8 pessoas. No meu caso deu para 6 panquecas não muito altas.


2 chávenas de farinha sem fermento - 250 g*
2 colheres de chá de fermento em pó
1/3 chávena de açúcar fino - 75 g* (cortei um pouco ao açúcar, terei colocado aí 50 g)
2 ovos à temperatura ambiente
1+1/2 chávena de leite à temperatura ambiente - 375 ml*
70 g de manteiga sem sal derretida

Numa taça, juntar a farinha, o fermento e o açúcar (eu acrescentei ainda uma pitada de sal). Com um batedor de varas, misturar noutra taça os ovos, o leite e a manteiga derretida. Deitar esta mistura para dentro da taça com os secos. Bater bem.

Levar ao lume uma frigideira untada com manteiga e deitar cerca de 1/4 de chávena de massa de cada vez (ou mais, para panquecas de maior diâmetro). Deixar cozinhar em lume baixo uns dois minutos de cada lado ou até ficarem douradas.

O livro sugere que se sirvam ainda quentes com uma colher de iogurte espesso, tipo grego, frutos silvestres ou da época e folhas de hortelã por cima. Na foto surgem regadas com mel. Como sou gulosa, comi-as com um pouco de compota de pêssego caseira, mas julgo que para comer com mel ou compota, o ideal é levarem apenas uma pitada de açúcar.

*Neste livro, uma chávena-medida corresponde a 250 ml de líquidos, a 125 g de farinha e a 225 g de açúcar normal ou fino.

5 comentários:

Marina disse...

Gostei muito de conhecer este blog! Revejo-me em algumas coisas... também tenho livros de culinária a mais... ou talvez não!
Parabéns pelas maravilhosas receitas... são de deixar água na boca!

Tangerina disse...

Ontem à noite fiz umas panquecas desse livro, (de ricotta e courgette) e lembrei-me de ti e do post anterior... achei que a receita não ía dar certo nem por nada... mas depois lá alterei as quantidades e a coisa fez-se :)

As tuas deviam estão deliciosas ;)

Beijinhos,
Carlota

Mónica - Diário da Cozinha disse...

olá!
Acabei de conhecer este receitóblog e adorei!
Fiquei cheia de vontade de comer uma panqueca, hummmm...

Vou voltar mais vezes!

;-)

Mónica - Diário da Cozinha disse...

apeteceu-me um lanche mais requintado e... sairam estas deliciosas panquecas!

obrigada pela partilha, adorei a receita

;-)

ritzpicz disse...

Fiz este fds as panquecas e sairam deliciosas e também muito bonitas. A receita da MPL deu para 10 panquecas não muito altas, tostadinhas, em mera frigideira pequena anti-aderente.

Foi só fazer uns loops fantásticos para virá-las e que deixaram os meus filhos em delírio.

Gosto muito do blog. Parabéns.