ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



15.9.14

Londres [1ª parte e uma focaccia express]













Tudo começou em Janeiro, quando fiz 40 anos.
No fim do meu jantar de aniversário, um grande presente preparado pelos amigos: vouchers para dois workshops no Recipease e um pé-de-meia para a viagem (para além de um livro cheio de dedicatórias e fotografias, lindo, que me pôs a chorar nesse dia e nos seguintes).

Ficou logo decidido que a escapadela a Londres seria a dois, sem miúdos. Mesmo assim, era preciso que fosse em tempo de férias escolares, para que a logística de quem ficasse com os piratas não fosse demasiado complicada. E a data escolhida acabou por ser agora, no início de Setembro.

Foram cinco dias recheados de coisas boas que não cabem num post só. Este é sobre os workshops, mas quero mostrar-vos também os restaurantes onde comemos, os mercados por onde andámos e as lojas que conhecemos. Muitos desses sítios nunca os teríamos descoberto se não tivéssemos a sorte de ter amigas em Londres, que nos receberam de forma maravilhosa. Apesar de eu já ter estado em Londres noutras alturas, esta foi a primeira vez depois do bichinho da cozinha e do blog se ter instalado definitivamente, por isso foi uma viagem muito especial.

Comecemos então pelos workshops, que fiz no Recipease de Notting Hill. Inscrevi-me online, com antecedência, e escolhi-os de entre os temas disponíveis para o mesmo dia. De manhã foi o "Bread - Knead to know", ao início da tarde foi a vez da "Indian Street food". O espaço é muito giro e os funcionários são todos extremamente simpáticos. À volta da ilha gigante, onde são ministradas as aulas de cozinha, há comida pronta para levar, há conservas, compotas, loiça gira e livros para comprar e há uma cozinha à vista, de apoio ao restaurante que fica no piso de cima. Por incrível que pareça, fui a única aluna no workshop de pão! Tive a simpática chef Laura por minha conta, a ensinar-me uma massa básica de pão, a dar-me dicas sobre como amassar, dar diferentes formas e rechear, e a mostrar-me vários toppings que podemos usar. Aprendi também a fazer uma focaccia de rosmaninho que, incrivelmente, não precisou de levedar (apesar da receita - que recebi passados alguns dias por email - dizer para levedar). Foi um workshop simples mas divertido, com o chef Dan, que iria liderar depois o workshop de comida indiana, sempre a meter-se comigo e com a chef Laura. O chef Roberto, de origem italiana, e que trabalha na cozinha do Recipease, também fez questão de vir dizer olá e posar para a fotografia.

Já no workshop de comida de rua indiana éramos quatro alunos, o que mesmo assim deu para podermos contar com a atenção do chef para responder às constantes perguntas (era muito enérgico, entusiasmado e rápido a falar, bem à Jamie, e nem sempre era fácil acompanhar).
Fizemos um caril de vegetais, uma espetada de frango marinada em iogurte e especiarias, umas sanduíches recheadas com batata e ervilhas, envolvidas em polme e fritas - "bread pakoda", um lassi de manga, e ainda umas entradinhas amorosas recheadas, entre outras coisas, com um chutney de tâmaras e tamarindo que o chef fez no momento, extra workshop, e que era absolutamente delicioso.
Quero muito tentar fazer de novo estas receitas, ainda que haja um ou outro ingrediente que talvez não seja fácil encontrar (a minha aventura para encontrar as especiarias em Chinatown, seguindo o conselho do chef Dan, não foi lá muito bem sucedida). Por agora deixo-vos a focaccia, que à falta de rosmaninho cá em casa, foi feita na versão azeitona, cebola roxa e orégãos.
Para a massa segui a receita enviada (no momento do ws não temos a receita, esta é transmitida oralmente), mas ficou ligeiramente diferente, o que julgo dever-se às farinhas, que diferem bastante de país para país (a esse propósito, vale a pena ler este post). Quanto à questão do levedar/ não levedar, já enviei mail para o Recipease, para esclarecer essa dúvida, uma vez que pensava que a receita que me iria chegar não ia falar nessa etapa. Acabei por seguir o que tinha feito no workshop, ou seja, nesta primeira experiência também não deixei a massa levedar, ficando à espera apenas o tempo de preparar e colocar o topping.

Deixo-vos a receita e vou ali seleccionar as fotos para os próximos posts. Boa semana!

[Hoje era dia de wishlist, mas achei que a ida a Londres e a receita mereciam prioridade :)]











FOCACCIA DE AZEITONA E CEBOLA ROXA

325 g de farinha tipo 65 (strong bread flour)
150 g de farinha 55 (Italian “00” flour)
200 ml de água tépida
7 g de fermento de padeiro seco (ou 15 g fermento fresco)
1 pitada generosa de sal
150 ml de azeite extra virgem + algum para saltear a cebola
Cerca de 25 azeitonas descaroçadas
1 cebola roxa
1 dente de alho
Orégãos secos qb
Flor de sal (opcional)
Folhas de manjericão fresco para decorar (opcional)

Pré-aqueça o forno nos 200º.
Numa taça grande, combine as farinhas, a água, metade do azeite, o fermento e o sal.
Primeiro com um garfo e depois com as mãos, vá misturando, forme uma bola e depois, numa superfície de trabalho, amasse entre 5 a 10 minutos. Está pronta quando carregando na massa com a ponta do dedo, a massa rapidamente volta ao sítio. Reserve*. Entretanto, leve ao lume uma sertã com um fio de azeite, coloque a cebola partida em tiras e o alho picado. Deixe cozinhar bem, até a cebola ficar bem mole e translúcida.
Estenda a massa com as mãos formando um rectângulo com cerca de 1 cm (mínimo) de espessura. Passe para papel vegetal e coloque num tabuleiro de forno. Com o indicador faça covinhas na superfície de toda a massa. Barre com parte do azeite reservado, coloque por cima a cebolada e espalhe as azeitonas. Regue com mais um pouco de azeite e salpique com orégãos. Leve ao forno cerca de 20 minutos (no meu caso esteve mais alguns minutos, mas o meu forno anda um pouco imprevisível).
Sirva morna ou fria, salpicada com flor de sal e com uma tacinha de azeite e vinagre balsâmico ao lado. Pode decorar ainda com folhinhas de manjericão.

*Se tiver tempo e quiser fazer a massa levedar, coloque a bola de massa na taça e tape a massa com um pano de cozinha limpo, deixando assim cerca de 45 minutos ou até dobrar de volume. Depois, já com a massa estendida e pronta para ir ao forno, volte a tapar com o pano e deixe descansar mais cerca de 30 minutos. Se usar fermento fresco, dissolva-o na água tépida, antes de juntar esta aos restantes ingredientes.

9 comentários:

Rosa Cardoso disse...

Que bela viagem querida Teresa!!!! Fotos lindas, lindas, lindas! O teu sorriso diz tudo :D :P
Obrigada por essa partilha. Fiquei muito tentado em fazer essa focaccia (assim que consiga tirar os pontos da boca :( ).
Quem me dera ter assim uns amigos como os teus :D os meus apesar de serem os melhores do mundo, têm os bolsos rotos (como os meus) ahahah pode ser que consigo ir na mesma um dia destes com um "paitrocinio".
Mil beijinhos ***

Miranda disse...

Bem, que prenda de anos fenomenal, e que focaccia com tão bom ar, babei!!
http://bloglairdutemps.blogspot.pt/

Ju Figueiredo Silva disse...

UAU, mas que prenda espectacular de anos :) Devem ter sido 5 dias maravilhosos. Essa focaccia tem um aspecto delicioso *

panelasemdepressao disse...

Ai Teresinha,
Ainda não consegui parar de sorri de enlevo, por tudo! Que sorte a tua e que presente tão abençoado. Fico encantada só de ler a tua descrição e imaginar o quão feliz deves ter estado nesses dias.
Fico impacientemente a aguardar o novo post. E como já deves imaginar, vou testar a tua receita que isto de saltar etapas é bem a minha praia ;)
Um abraço,
Guida

Lume Brando disse...

Obrigada pelos vossos comentários tão simpáticos, de facto foi uma viagem maravilhosa!

Rosa: eram muitos amigos, quase 30 ;)
Arranja lá esse paitrocínio, porque vale mesmo a pena ir conhecer os mercados e a comida de rua londrina, entre muitas outras coisas!

Guida: esta receita não difere muito daquela da Lorraine Pascale que experimentámos ;)

Beijinhos
Teresa

Babette disse...

Que maravilha de presente! Amigos generosos e atentos, esses ;) Li o relato com muita curiosidade. Que encanto! Ainda bem que pudeste experimentar tantas coisas boas ;)
Babette

les bons vivants disse...

Queremos a receita do caril de vegetais! Muito! :)

Lindas imagens!

Raquel

Ondina Maria disse...

és uma sortuda :)

Marmita disse...

Olá Teresa ainda não tinha tido oportunidade de vir até aqui. Na altura tive pena de não conseguires ter ido connosco, mas agora tiveste uma melhor companhia :) Ainda bem que gostaste e que correu tudo lindamente, adorei recordar tudo pelas tuas fotos. um beijo