ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



9.11.15

Pão, paz e preguiça.



Gostava de fazer mais vezes pão. Não tenho máquina de fazer pão e acho que não seria isso que me faria fazer mais vezes.
Talvez se fosse mais organizada, talvez se fosse mais metódica e disciplinada, talvez se não fosse tão preguiçosa, talvez se comprar pão não fosse tão fácil.

Um destes domingos impus-me essa missão: fazer pão para estrear a minha cocotte oval da Le Creuset.
Há muito que lia sobre as vantagens de cozer pão numa panela de barro ou ferro fundido com tampa. Há muito que estava curiosa e com vontade de fazer esse teste e a panela bonita serviu na perfeição o propósito.
Confere: cozer o pão na panela tapada faz com que se crie uma espécie de forno mais pequeno, a humidade não se escapa e o pão fica com uma deliciosa e bonita côdea estaladiça.

Adoro pão com coisas: sementes, frutos secos, passas. Decidi-me por isso por um pão rico, que é bom acabado de cozer, mas também fica delicioso torrado, com o crocante das nozes e o doce das sultanas a contrastar com a manteiga salgada.

Este post não é uma fábula, mas recorro à moral de Esopo para lhe dar um final feliz: "um pedaço de pão comido em paz, é melhor do que um banquete comido com ansiedade."

Boa semana!



PÃO DE MISTURA COM NOZES E SULTANAS

170 g de farinha T65
40 g de farinha integral
40 g de farinha de centeio
5 g de fermento de padeiro seco
1 boa pitada de sal
140 ml de água morna
25 ml de azeite
15 ml de xarope de agave (ou mel, se gostar)
50 g de sultanas
30 g de nozes picadas grosseiramente

Numa taça grande, coloque as farinhas, o sal e o fermento. Faça uma cova no meio e junte a água, o azeite e o xarope de agave (ou mel). Aos poucos e com as mãos, vá levando os secos dos lados da taça para o meio e amasse até obter uma mistura moldável. Se estiver pegajoso, junte mais um pouco de farinha.
Adicione as nozes e as sultanas e amasse para que fiquem bem espalhadas.
Passe para uma superfície de trabalho enfarinhada e amasse uns 10 minutos, até a massa estar bem macia e faça o teste do indicador: pressione com suavidade a massa e se esta voltar ao sítio rapidamente, está pronta para levedar. Coloque a massa de novo na taça, com um pouco de farinha no fundo, tape com um pano de cozinha limpo e deixe repousar num local ameno (eu costumo embrulhar a taça numa manta polar) cerca de 1 hora ou até ter dobrado de volume. Retire da taça, amasse-a suavemente, dê-lhe a forma pretendida e deixe de novo a levedar na taça ou noutro recipiente aproporiado, polvilhado com farinha, até ficar novamente com o dobro do volume.
Entretanto aqueça o forno nos 200º. Quando este estiver quente, coloque a panela, para esta aquecer e estar já quente quando lá colocar o pão.
Retire a panela do forno (com cuidado, está quente!) e salpique-a de farinha. Coloque lá dentro a massa do pão e faça alguns cortes na superfície deste. Polvilhe com farinha, tape a panela e deixe cozer cerca de 25 minutos. Abra a panela, bata no pão para ver se ouve o som oco que indicia que está cozido e se achar que não está tão tostado como gosta, deixe cozer mais alguns minutos destapado.

Outros pães no blog:
Pão de Espelta e Sementes
A minha versão do Artisan Bread
Pão de Hambúrguer





13 comentários:

cozinha100segredos disse...

Esse pao está maravilhoso! Sou uma grande apreciadora de pao! Uma maquinha de pao dá um jeitaço, nem que seja só para amassar! Beijinhos

Sandra Barroso disse...

para quem não tem essas panelas fantásticas, é só deixar cozer num tabuleiro certo?

Miranda disse...

Já tive duas máquinas de pão, e desde que me casei que começámos logo a fazer pão em casa. A inicio era mais por brincadeira, para ter pãozinho quente nas jantaradas com amigos, depois começou a ser mesmo á séria, quando fiquei desempregada e percebemos que saía mais barato fazer pão em casa, e como havia tempo, fazíamos manualmente ao domingo e congelávamos para a semana inteira. Depois voltei a trabalhar e de repente demos por nós a só fazer o pão em ocasiões especiais, mas comecei a dar-me muito mal com o pão de compra, e lá voltámos a fazer em casa. As duas máquinas que tivémos foram levadas á exaustão, coitadas, de tanto pão que se faz nesta casa, agora que somos 3, porque depois cada um tem as suas preferências e necessidades, o maridão é mais é pão branco, o filho gosta de baguettes ou bijoux, e eu tenho de ter pão com centeio e aveia e cereais e frutas secas e nozes e e e ... bom, o meu pão é do tipo que enche a barriga logo pela manhã e me aguenta até á hora do almoço eheheheh. Adoro pão, adoro pão feito em casa e já sinto dificuldade em comer pão de compra mesmo que não seja pão branco - o qual me cai mal.
http://bloglairdutemps.blogspot.pt/

Carla Ramalho disse...

Adorei o aspecto e os ingredientes, tenho de experimentar :)
Se puder, venha me visitar em Gulosoqb

Álvaro Silva disse...

Um pão perfeito! Acho que vu experimentar esta receita porque agradou-me a combinação de farinhas e ingredientes.
um beijinho

Ondina Maria disse...

Como te percebo! Eu até tenho máquina de pão e confesso que antes fazia imenso, quer na mfp quer à mão, mas ultimamente o tempo escapa-se-me por entre os dedos. Nem tempo tenho para as fotos (tão lindas q estão as tuas!). No outro dia vi uma panela de barro preto linda e fiquei logo com vontade de fazer um pão. Será q é desta q tenho tempo para tudo? 😁

Ana Rita Godinho disse...

que aspeto fantástico, deve ter ficado óptimo o pão! eu adorava ter uma máquina de pão mas já tenho mil coisas de cozinha e não tenho espaço nenhum (visto que nem tenho a minha própria cozinha ainda ahah).

Adoro mesmo este blog, venho aqui constantemente, às vezes só para admirar as fotografias :)

http://www.petisconamesa.com/

Susana Machado disse...

Só coisas boas!
Beijinhos,
http://sudelicia.blogspot.pt/

Ariadne disse...

"Eu confio" é um texto sobre a importância de escolher um suplemento alimentar de confiança, de uma marca que aposta em estudos científicos para demonstrar a qualidade dos seus produtos. Visita o blogue para descobrires mais sobre a Pharma Nord e o BioActivo Q10.
O Histórias de Ariadne é um blogue pessoal em que podes encontrar textos sobre assuntos farmacêuticos, histórias pessoais, dicas/truques/artigos para alcançar o sucesso (seja pessoal, bem-estar ou profissional), fotos das minhas gatas (yup, sou uma daquelas pessoas que ama gatos e é viciada em café). Dá uma espreitadela, pode ser que até gostes do que por lá partilho.

Beijinhos
Ariadne
http://historiasdeariadne.blogspot.pt

Teresa Rebelo disse...

Obrigada a todos pelos vossos comentários!
Cozinha 100 segredos: acredito, mas com uma Bimby e uma kitchenAid cá em casa, estou proibida de trazer mais máquinas cá para casa! E no fundo, estas também amassam, é mesmo preguiça e falta de tempo :)
Sandra Barroso: pode cozer em tabuleiro sim, mas sugiro que coloque na parte de baixo do forno um recipiente com água a ferver, desde o início da cozedura, para criar humidade :)
Álvaro: experimente e depois figa-me como correu :)
Ondina: arranja lá um tempinho para matares as saudades de fazer pão: deste que se tem de amassar, é terapêutico!
Miranda: admiro o seu dinamismo em fazer pão com frequência, ainda por cima para agradar a tantas bocas diferentes ;)
Ana Rita Godinho: fico contente que venha, nem que se a só para ver as fotos, já fico feliz, vou espreitar o Petisco na Mesa :)
Susana: no Sudelícia também não faltam coisas boas :)

Beijinhos para todos
Teresa

Filipa Semião disse...

Esse pão parece qualquer coisa de maravilhosa, claro que a cocotte ajuda :) Gostei de ler também o texto, vou vir aqui mais vezes que já vi que vale a pena, obrigada **

Marmita disse...

Que linda a panela preta :D O pão também deve ser maravilhoso, tenho pena de ter perdido o hábito de fazer pão caseiro... A falta de tempo mas mais a preguiça falam mais alto, um beijo para ti.

Mónica Magalhães disse...

Beeemmmm....não vai escapar! Vou experimentar e depois coloco as fotos no meu blog :D Obrigada!