ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



16.10.13

Fall in love.



























Uma tarte com sabores mediterrânicos de Outono, feita com carinho a pensar na Ondina e no seu Coentros & Rabanetes.

Se há uns anos me tivessem dito que eu um dia iria conhecer pessoalmente muitos dos autores dos blogs de cozinha que vou acompanhando, teria respondido que isso era altamente improvável: por ser céptica em relação a amizades iniciadas através de um computador, por ser tímida, por ser insegura, por nunca ter imaginado que em showcookings ou workshops o meu papel pudesse ser outro que não o de participante, por não levar o blog demasiado a sério.





Mas a vida tem essa coisa chamada surpresa. 
E nos últimos tempos, fruto de boas surpresas, tenho vindo a mudar a minha opinião acerca de conhecer pessoalmente quem está por detrás dos blogs que sigo ou dos comentários que me deixam.

A Ondina (ou direi antes, a Joana) foi uma das food bloggers que conheci recentemente, e com quem desde o início criei uma enorme empatia. Somos ambas doidas por loiça e props (na verdade, é uma característica comum a todos os que têm um blog de cozinha e gostam de investir um pouco na componente fotográfica), por revistas e livros de culinária, e acho que podíamos ficar horas no chat a trocar moradas e indicações para lojas, antiquários e feiras de velharias, links para livros e gadgets de cozinha. Mas como não queremos e não podemos cometer loucuras, temo-nos controlado, não é Ondina?

Fiquei por isso muito contente quando recebi o seu convite para um guest post no Coentros & Rabanetes, inspirado na cozinha mediterrânica. Se fazer um guest post era uma honra, fazê-lo sob inspiração mediterrânica seria um prazer.

Foi assim que surgiu esta tarte de ricotta, abóbora e batata doce, enriquecida com espinafres, que levou ainda rúcula e parmesão no momento de servir. Feita com algumas das compras que fiz no Mercado de Sabores do Continente/Porto.Come (evento onde pude conversar mais um bocadinho com a Ondina, ou melhor, a Joana), como a abóbora e a tarteira quadrada, que mal avistei na banca da César Castro soube que tinha de trazer comigo!

E eu, que não sou rapariga de gostar por aí além do Outono e do Inverno, dei comigo apaixonada por estas cores quentes e estes sabores reconfortantes.

Voltando ao início do post, e depois de ter conhecido tanta gente fantástica e inspiradora ligada a este submundo dos blogs de cozinha, de que a Joana (a esta hora já perceberam que Ondina é um nickname) é um exemplo perfeito, vem-me à memória a famosa frase de Julia Child: "the people who love to eat, are always the best people".
E quem sou eu para discordar da senhora dona Julia.

E só agora, quando ia publicar o post, é que dei conta que hoje é o Dia Mundial da Alimentação e o Dia Mundial do Pão. Apesar de não ter sido feito a pensar nisso, acho que este post se enquadra: o melhor do pão e da comida, para além das suas funções óbvias e básicas de sobrevivência, é mesmo a partilha :)

//

An autumm tart with Mediterranean flavors, made ​​with love for Ondina and her blog Coentros & Rabanetes.

If a few years ago someone had told me that I would one day personally meet many of the food blog authors which work I regularly follow, I would have answered that it was something highly unlikely: for being skeptical about friendships that start online, for being shy, for being insecure, for never have imagined that in showcookings or workshops my role could be other than being a participant, for not taking the blog too seriously.

But life has a this thing called surprise.
And in recent times, due to a bunch of good surprises, I've been changing my mind about meeting personally the people behind the blogs I read or the comments I receive.

Ondina (or I should rather say, Joana ) was one of the food bloggers I've met recently, and with whom since the beggining I have created an enormous empathy. We are both crazy about tableware and props (actually, this is a common characteristic between all who have a food blog and like to invest a little in the image component), about magazines and cookbooks, and I think we could spend hours talking on the chat, exchanging addresses of stores, antique shops and flea markets, links to books and kitchen gadgets, etc. But as we don't want and can't run amuck, we have been controlling ourselves, aren't we Ondina?

So, I was delighted when I received her invitation for a guest post in Coentros & Rabanetes, inspired by Mediterranean cuisine. If cooking and writing a guest post was an honor, do it under Mediterranean inspiration would be a pleasure.

Thus was born this ricotta, pumpkin and sweet potatoe pie, enriched with spinach, and parmesan, walnuts and arugula on top just before serving. Made with some of the purchases I made in Mercado de Sabores do Continente/ Porto.Come (where I could talk a little bit more with Ondina, or I should say Joana), like the squash and the square tart mold I bought in César Castro stall -  barely I saw it, I knew I had to bring one home.

And even being myself a girl that is not a huge fan of autumn and winter, I found myself in love with these warm colors and comforting flavors.

Returning to the beginning of the post, after meeting so many fantastic and inspiring people linked to this underworld of food blogs, that Joana (by now you've realized that Ondina is a nickname ) is a perfect example, comes to my memory Julia Child's famous quote: "the people who love to eat , are always the best people ." And who am I to disagree with the lady Julia.






























Tarte de ricotta, abóbora e batata doce
(inspirada numa lasanha de Lorraine Pascale)

Para a massa
250 g de farinha sem fermento
125 g de manteiga ou margarina fria
2 ovos pequenos

1 pitada de sal fino

Para o recheio
250 g de queijo ricotta
1/2 embalagem de queijo tipo Philadelphia
2 ovos
Uma mão cheia de folhas de espinafres frescos
250 g de batata doce cozida e descascada
300 g de abóbora bolina limpa e descascada
1 cebola grande (usei roxa)
3 dentes de alho
Pimenta preta acabada de moer
Mistura de Sal c/ Ervas do Mediterrâneo (usei da Margão)
1/4 de copo de vinho branco
Azeite
Pão ralado (opcional)
Rúcula
Nozes
Parmesão ralado na hora

Lave bem as batatas doces e coza-as em água com sal durante cerca de 30 minutos (o tempo vai depender do tamanho das batatas).
Prepare a massa: numa taça coloque a farinha, o sal, a manteiga fria cortada em cubos e os ovos.
Amasse com as pontas dos dedos até obter uma massa uniforme e macia. Se achar que está a colar, junte um pouco mais de farinha. Reserve, embrulhada em película aderente, se possível no frigorífico.
Numa sertã, leve ao lume num fundo de azeite a cebola e os alhos picados. Deixe alourar bem e junte a abóbora cortada em pequenos pedaços. Deixe cozinhar e quando a batata doce tiver cozida e descascada (deixe arrefecer antes de fazê-lo!), junte-a à abóbora. Deixe cozinhar um pouco e refresque com o vinho branco.
Tempere com a mistura de sal e ervas do mediterrânico, pimenta preta acabada de moer e mais sal se achar necessário. Deixe cozinhar em lume brando até os ingredientes estarem bem macios. Rectifique os temperos e retire do lume. Com um espremedor manual de batatas, amasse até obter um puré grosseiro e deixe arrefecer.
Entretanto forre uma tarteira com a massa (vai sobrar massa que poderá usar para outras receitas, inclusivamente doces), pique-a e leve-a ao frigorífico cerca de 30 minutos.
Prepare o recheio, misturando os queijos com os ovos. Reserve.
Pré-aqueça o forno nos 180º.
Encha a tarteira com feijões ou pesos próprios para cozedura e leve ao forno cerca de 10/15 minutos para uma pré-cozedura.
Retire e recheie: a primeira camada será de puré de abóbora e batata doce, a segunda de espinafres e algumas nozes, a terceira da mistura de queijos e ovo. Termine com pão ralado e leve ao forno cerca de 35 minutos ou até estar bem dourada.
Antes de servir, espalhe pelo topo algumas folhas de rúcula, nozes e lascas de parmesão.

Nota: se tiver tempo, pode assar a abóbora e a batata doce e fazer o puré do recheio com estes legumes assados.

//



Ricotta, pumpkin and sweet potato pie
(inspired by a lasagna recipe from Lorraine Pascale)

For the tart dough
250 g plain flour
125 g of cold butter
2 small eggs
1 pinch of fine salt

For the filling
250 g of ricotta
1/2 package of cream cheese like Philadelphia
2 eggs
A handful of fresh spinach leaves
250 g of cooked and peeled sweet potato
300 g of clean and peeled squash
1 large onion (I used red )
3 cloves of garlic
Freshly ground black pepper
Mixture of salt with Mediterranean Herbs (Margão)
1/4 cup of white wine
olive oil
Breadcrumbs (optional )
Arugula
Walnuts
Freshly grated Parmesan

Wash the sweet potatoes and bake in salt water for about 30 minutes (time will depend upon the size of the potatoes).
Prepare the dough: in a bowl place the flour, salt, cold butter cut into cubes and eggs.
Mix with your fingertips until the dough is uniform and smooth. If you think is too sticky, add a little more flour. Form a ball and wrap it in cling film, reserving in the fridge if possible .
In a frying pan with a good splash of olive oil, cook the minced onion and garlic. Let it get soft and lightly gold and add the pumpkin cut into small pieces. Cook, and when the sweet potatoes get cooked and peeled (let them cool before doing so!), add them to the pumpkin. Let it cook a bit and refresh with a little of white wine .
Season with the salt and Mediterranean herbs mixture, freshly ground black pepper and more salt if you think is necessary. Cook over low heat until the ingredients are very soft. Check the seasoning and remove from heat. With a manual potato masher, mash until you get a coarse puree and leave to cool.
Meanwhile, roll out the dough and line with it a pie or tart mold (you'll get dough leftovers that you can use in other recipes, including sweet ones), with a fork, make small holes all over the shortcrust and take it to the fridge about 30 minutes.
Prepare the filling by mixing the cheese with the eggs. Set aside.
Preheat the oven to 180 º.
Fill the tart mold with beans or weights suitable for cooking and bake about 10/15 minutes for a pre-cooking.
Remove and fill: the first layer is the pumpkin and sweet potato mash, the second is spinach and some walnuts, the third is the mixture of cheese and egg. 
Sprinkle with breadcrumbs on top, and bake about 35 minutes or until well browned .
Before serving, sprinkle the top with some few leaves of arugula, walnuts and parmesan shavings.

Note: if you have enough time, you can bake the pumpkin and the sweet potatoes and make the pie stuffing with these roasted vegetables.


16 comentários:

Susana Gomes disse...

Eu sou encantada por todas as estações, cada uma com os seus sabores e a sua graça: abóbora e batata doce então, fiquei logo com os olhinhos a brilhar quando li o título. :) Mas sei lá porquê achei logo que vinha aí doce, lol :) Adorei a tua sugestão. Love. Fall! Bj*

MissB disse...

Que bom aspecto... esta tarte deve ser maravilhosa... adoro tartes!

Beijinhos
Arco-íris na Cozinha

P.S.: aproveito para te convidar a participar neste sorteio de uma ecogarrafa da Tupperware a decorrer no blogue, http://arcoirisnacozinha.blogspot.pt/2013/09/giveaway-ecogarrafa-tupperware.html

Liliana (Addicted) disse...

Essa mistura de ingredientes numa única tarte deve ficar soberbo!
A tarte está mesmo a pedir para ser devorada :)
beijinhos :)

Paula Moita disse...

Eu gosto do outono porque tem um encanto especial!
Esta tarte parece ser deliciosa e os ingredientes estão muito bem combinados.

Liliana (Addicted) disse...

Essa mistura de ingredientes numa única tarte deve ficar soberbo!
A tarte está mesmo a pedir para ser devorada :)
beijinhos :)

Dora Pinhão - Coisas Minhas e da Cozinha disse...

Que giro este post, a tarte tem um aspeto que valha-me Deus e sim, a Ondina, ou melhor a Joana, é fixe!
Revejo-me em todas as palavras que a Teresa disse sobre os food bloguers, mas realmente a palavra contenção está cada vez mais forte e não se pode cometer qualquer tipo de exagero. Só a imaginação de quem gosta de cozinhar é que não tem limites.
Beijinhos

Tertúlia da Susy disse...

Uma tarte bem outonal, deveras maravilhosa!
Kiss, Susana
Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/10/dia-um-na-cozinha-e-escolha-do.html

Ondina Maria disse...

Amei o título...

(contínuo sem perceber porque motivo nem sempre consigo comentar aqui...)

Cozinha em sarilhos disse...

Não sei se gostei mais das palavras, (quem em parte traduzem muito do que sinto), se da apresentação ou da receita!
Daqueles posts que fico literalmente sem palavras, de tão perfeitos que são!

Sabores Autenticos disse...

Tem um aspeto delicioso!
Bjs

Petiscos e Miminhos disse...

O melhor de ter um blogue é a oportunidade de interagir e conhecer pessoas mesmo interessantes, por isso faço minhas as tuas palavras em relação á Ondina e a ti <3
Um post muito bonito com uma tarte ainda mais bonita!

Inês Ginja disse...

O Outono e os seus encantos :)
Adorei o título e a escolha para a Ondina.
Também trouxe uma tarteira dessas numa visita ao Porto com a Ondina :) que engraçado!
Love Fall, beijinho.

Célio Cruz disse...

Que maravilhosa combinação de sabores! Tanta coisa boa junta numa só receita. E o aspecto fala por si. Esta tarte é daquelas que é devorada assim num ápice, certo?!
Beijinhos.

O Atelier Lu_Tec disse...

que aspecto delicioso!!

frango do campo disse...

Para além das fotos maravilhosas, da receita inspiradora confesso que fiquei comovida com o texto. Percebo perfeitamente o que dizes. E muitas vezes ponho-me a pensar nisso. E fico feliz, muito feliz porque sem dúvida que o melhor que o blogue me trouxe foi as pessoas que tenho conhecido, nomeadamente tu :)
um beijo enorme***

Camy Carvalho disse...

Tenho de experimentar :)!