ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       WORK                       FACEBOOK                       PINTEREST



Venham, o Natal já está na mesa!




















A Oficina da Pequenada é um novo espaço para festas infantis (a cinco minutos do Instituto Superior da Maia), cuja filosofia é ter apenas uma festa de cada vez e onde as crianças são sempre convidadas a participar num atelier, que pode ir desde as artes plásticas à culinária.
Há umas semanas, fui convidada pela Isabel, a responsável pelo projecto, para, entre outras coisas, colaborar numa espécie de evento de apresentação associado ao Natal, até porque a Oficina da Pequenada também vende bolos, lembranças e outros artigos para crianças e festas, mesmo que estas não se realizem no espaço.

Foi um desafio cansativo, mas muito giro!

Tal como podem ver pelas imagens, o Lume Brando tratou da decoração da mesa e forneceu muitas das coisas boas que lá estavam, quer para venda quer para degustação: cupcakes, bolachinhas de manteiga, bolachinhas de chocolate, biscoitos de canela, minibolos em forma de gingerbreadmen, bolachas lollipop de natal...

Os miúdos puderam brincar nas diferentes zonas existentes para o efeito e os pais, para além de terem provado os doces e tomado um café ou um Porto, ficaram a conhecer este espaço alternativo para as festas dos seus piratas.

Entretanto, fiquem atentos à próxima missão do Lume Brando: mesa e doces para um baby shower!

PS: não sei o que se passa com o blogger :( Por mais que tente o post fica todo desformatado! Já estive mais longe de migrar para o Sapo...

Já cheira a Natal.



Na cozinha do Lume Brando já se começam a sentir os aromas de Natal.

Tenho andado a testar receitas para um projecto que está quase, quase a sair do forno, e depois de uns queques de baunilha fantásticos, cuja receita também virá para aqui em breve, foi a vez destas bolachinhas de chocolate.
Uma receita alternativa à massa tradicional de manteiga, que resultou muito bem. Ficaram estaladiças e com um delicioso sabor a cacau. Daquelas que é impossível comer só uma...

Confesso que até a massa crua fartei-me de comer, o que me deixou logo optimista quando ao resultado final ;)

A receita original está neste livro fantástico da "tia" Martha.

Bolachinhas de chocolate com formas

Para 3 a 4 dúzias

1 1/2 chávenas* farinha sem fermento
1/2 + 2 colheres de sopa de cacau em pó
1/8 de colher de chá de sal (não usei)
1/4 colher de chá de canela moída (não usei)
180 g de manteiga sem sal à temp. ambiente (usei com sal)
1 1/2 chávena* de açúcar em pó peneirado
1 ovo L ligeiramente batido (usei M)
1/2 colher de chá de extracto de baunilha


Peneirar a farinha, o cacau, o sal e a canela (se for caso disso) para uma taça.
Com a batedeira eléctrica, bater a manteiga e o açúcar durante cerca de 3 minutos, até se obter um creme esbranquiçado e relativamente fofo.
Juntar o ovo e a baunilha, reduzindo a velocidade da batedeira, e gradualmente adicionar a mistura de farinha e cacau.
Formar uma espécie de bola achatada de massa e levá-la ao frigorífico no mínimo durante uma hora (se achar que a massa está pegajosa e não consegue formar uma bola, junte um pouco mais de farinha, até se despegar das mãos.
Entretanto pré-aquecer o forno nos 180º.
Depois de bem refrigerada, estender a massa numa superfície enfarinhada, esticá-la com o rolo e cortar as formas desejadas. Passar as bolachas para o tabuleiro onde vão cozer (anti-aderente ou forrado com papel vegetal) e levar ao frigorífico por mais 15 minutos. Se a massa começar a ficar mole, leve-a de novo ao frio por alguns minutos antes de cortar as bolachas.
Repetir até terminar a massa.
Depois de arrefecidas, decorar as bolachas com glacé, por exemplo, ou embalá-las mesmo nesta versão mais simples e oferecer a alguém especial :)

*250 ml de capacidade

Falsos donuts e um convite.




Ontem foi dia de experiências aqui por casa.
Culinárias e fotográficas...

Estes donuts serviram para testar uma forma que tinha comprado num sítio muito pouco recomendável*, e ao mesmo tempo para criar um motivo vistoso para treinar o disparo.

A massa dos bolinhos é de bolo de claras (tinha algumas guardadas no frigorífico e foi uma forma de as usar e não gastar mais ovos).

A forma portou-se muito bem e acho que a fotógrafa também passou no teste (com a ajuda preciosa do sol!).

Agora há que experimentar uma das muitas receitas de donuts de forno espalhadas pela net.
Ficavam bem giros numa festa de criançada, não acham?

E por falar em novas experiências, na próxima segunda-feira, dia 21 de Novembro, das 22h às 23h, o Lume Brando irá viver mais uma, liderando uma conversa online sobre food blogging.



Mas para que este "lab" do INCOMUN (um projecto da Comunicarte cheio de energia e ideias positivas) seja um sucesso, precisamos da vossa participação.
Perguntas, dicas, dúvidas, comentários: tudo é válido nesta hora de partilha sobre um tema que nos apaixona a todos.

E é muito fácil participar: basta ter conta no Facebook e estar com o Mural do INCOMUN aberto. Depois é só seguir o diálogo, participando, comentando, publicando fotos ou links, etc...

Apareçam!


*Confesso que comprei a forma numa loja de chineses. Não foi à primeira nem à segunda que a comprei. Já se sabe que muitas das supostas marcas de qualidade também produzem as suas coisas na China, mas acho sempre que nesses casos haverá um maior controlo da qualidade. Acontece que as tentei mandar vir pela Amazon, mas na altura ou não enviavam para Portugal ou achei muito caras, já não me lembro bem porque não cheguei a encomendá-las. Mas os minidonuts que via em vários blogs continuavam a piscar-me o olho. E acabei por não resistir. Cada forma tem 12 cavidades, é anti-aderente e custou €3. O revestimento ficou impecável depois de a usar: o meu maior medo é que aquilo começasse a descascar tudo! Foi a primeira vez que usei alguma coisa comprada neste tipo de lojas para alimentação. Se por acaso sabem de alguma contra-indicação, contem-me por favor!

Chamar a música.





O meu primeiro bolo de dois andares!
Há cerca de dois meses montei um bolo torto, também com dois níveis, num workshop da Isto Faz-se, mas esta foi a primeira vez que fiz algo do género sozinha.

E o resultado ficou catita, não acham?

O bolo de baixo era de chocolate recheado com ganache, uma receita da Leonor de Sousa Bastos que eu adoro e já publiquei aqui, e o de cima era bolo de noz com recheio de doce de ovos, que podem encontrar aqui.

Um bolo cheio de cor para uma aniversariante que adora música, toca guitarra e saxofone e ainda consegue ser uma brilhante aluna. Parabéns Catarina!

Uma salada sumarenta e o dilema das fotografias.




Já devem ter reparado que eu publico muito mais coisas doces do que salgadas.

Poderia ser uma preferência por si só: gostar mais de cozinhar sobremesas, bolos e bolachas e não tanto pratos principais e salgados.
Mas não. Eu adoro cozinhar... tudo!

O que acontece é que as entradas, as saladas e os pratos principais mais interessantes cá de casa são feitos para o jantar.
E à noite, a luz para fotografar é péssima.
É por isso que não têm aparecido por cá muitas sugestões dessas categorias.

Mas ontem, esta salada obrigou-me a ser um pouco menos preguiçosa e a improvisar uma fonte de luz extra (um candeeiro de pé que levei para a cozinha).
As fotos foram tiradas com a reflex emprestada que me tem acompanhado nas últimas semanas (espero em breve comprar a minha!) e apesar de eu ainda estar muito verde na fotografia em manual e não ter perdido muito tempo a tratá-las, espero que consigam traduzir a delícia que é esta salada.

Tal como a iluminação, este acompanhamento também foi fruto de uma inspiração de última hora.

A romã esquecida há alguns dias no frigorífico (o meu marido só gosta de fruta fria, mesmo no Inverno) foi o ponto de partida e a ela os outros ingredientes foram-se juntando, num daqueles acasos perfeitos.

A 'vinagreta' de sumo de laranja, azeite e mel deu-lhe o toque final e tornou-a, logo à primeira, numa das nossas saladas favoritas para esta época.

Salada de laranja, rúcula e romã
Para 2/3

Duas laranjas descascadas e partidas às rodelas finas
Uma mão-cheia de rúcula
Uma mão-cheia de bagos de romã
Cerca de 2 colheres de sopa de sumo de laranja
Cerca de 3 colheres de sopa de azeite
Cerca de 1 colher de sopa de mel
Sal e pimenta preta qb
Sementes de sésamo pretas (ou de papoila) para polvilhar



Dispor num prato a laranja às rodelas.
Colocar por cima a rúcula e os bagos de romã.
Misturar bem todos os ingredientes da 'vinagreta' (azeite, sumo de laranja, mel, sal e pimenta) e verter por cima da salada em zigue-zague, mais do que uma vez, de forma a que todos os ingredientes "apanhem" um pouco de molho.
Polvilhar com as sementes de sésamo pretas ou de papoila e servir como entrada ou acompanhamento.